sábado, 2 de março de 2019

Governo do Estado iniciou a liberação da 1ª etapa dos créditos do Programa Bolsa Escola nesta sexta-feira (1º)

Secretário Márcio Honaiser acompanha de perto os preparativos para o Bolsa Escola 2019 (Foto: Honório Moreira)

Mais de 160 mil estudantes maranhenses poderão ser beneficiados com a liberação dos dois primeiros lotes dos recursos provenientes do Programa Bolsa Escola. Executada pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedes), a ação visa beneficiar estudantes da rede pública de ensino, por meio da transferência de renda para aquisição de material escolar.

Este ano, o recurso será creditado por etapas. Nesta sexta-feira (1°) iniciou o pagamento do primeiro lote destinado à Região Metropolitana e o segundo, previsto para sábado (2), contemplará os 30 municípios de menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Os créditos estarão disponíveis após 72 horas úteis a partir da data do desbloqueio do cartão.

Para atender a demanda de cerca de 100 mil famílias de todo o Maranhão, o Governo do Estado já habilitou 1.788 estabelecimentos comerciais para a venda de cadernos, lápis, borrachas, canetas, dentre outros itens.

De acordo com o novo titular da Sedes, Márcio Honaiser, o Bolsa Escola vai beneficiar, nesta fase inicial, estudantes regularmente matriculados em escolas públicas das cidades de Alcântara, Axixá, Bacabeira, Cachoeira Grande, Icatu, Morros, Paço do Lumiar, Presidente Juscelino, Raposa, Rosário, Santa Rita, São José de Ribamar e a capital São Luís, além dos municípios apontados como os de Menor IDH do estado.

“Somente nesta etapa serão mais de R$ 8 milhões investidos para ajudar as famílias maranhenses na aquisição de material escolar, dando mais qualidade e dignidade aos estudantes na volta às aulas”, destacou o secretário. “Também estamos trabalhando para que todas as ferramentas que integram o Bolsa Escola como, por exemplo, o aplicativo para celulares, estejam em pleno funcionamento para facilitar o acesso dos beneficiários às informações mais importantes”, acrescentou Honaiser.

Para a babá Raimunda Irene Freitas, 39 anos, o Bolsa Escola tem proporcionado aos seus dois filhos o prazer de escolher seus materiais escolares. “Recebo o benefício do Bolsa Escola e sou muito agradecida por essa ajuda na minha vida. Tenho dois filhos e todo início do ano era um sacrifício enorme para comprar os materiais deles. Às vezes não tinha como comprar todos os itens solicitados pela escola e acabava reaproveitando lápis, cadernos, etc. Graças a Deus, hoje uma das maiores alegrias dos meus filhos é quando chega o dia em que eles podem escolher o material e conseguir pagar por ele”, disse dona Raimunda.

Pensamento similar tem a dona de casa Ana Maria Trindade, 62 anos, que não precisa mais comprar os materiais de seu filho por etapas. “Antes do Bolsa Escola sempre tinha que conversar com a professora e explicar que iria entregar o material aos poucos, conforme fosse entrando dinheiro. Hoje, com o acréscimo do programa, consigo comprar todos os materiais de uma vez só”, explicou.

Segundo a secretária adjunta de Renda e Cidadania (Sarc) da Sedes, Ana Gabriela Borges, o aplicativo – que pode ser baixado pelo Play Store – disponibiliza serviços de consulta de saldo, lista de estabelecimentos credenciados, notícias referentes ao programa e, ainda, o beneficiário poderá realizar o desbloqueio do cartão. Ana Gabriela explicou, ainda, que por medida de segurança todos os cartões do Bolsa Escola estão bloqueados, inclusive dos beneficiários que já utilizaram o cartão para efetuar compras nos anos anteriores.

“Esta decisão foi tomada devido às inúmeras denúncias recebidas pela coordenação do Programa, referentes ao uso indevido do crédito liberado e pela significativa quantidade de extravio”, explicou a secretária adjunta.

Sobre o Bolsa Escola

Ana Maria Trindade se emociona ao contar sua
experiência com o Bolsa Escola
(Foto: Honório Moreira)
Instituído em 2016, pelo governador Flávio Dino, o Bolsa Escola busca complementar o recurso recebido pelas famílias já cadastradas no programa federal Bolsa Família. A iniciativa assegura a transferência de renda aos beneficiários em situação de pobreza extrema para aquisição de materiais escolares, inclusive fardamentos.

O recurso é destinado para crianças e adolescentes de 4 a 17 anos, que recebem o valor de R$ 51, sem limite de estudante beneficiado por família. Desde a criação do Bolsa Escola no estado, já foram investidos cerca de R$ 150 milhões, garantindo um acesso mais digno à escola de mais de 1 milhão e 200 mil crianças e adolescentes, além de contribuir para o aquecimento do comércio maranhense, garantindo o aumento de oportunidades de emprego e renda.

Municípios Beneficiados na 1ª Etapa

Alcântara, Axixá, Bacabeira, Cachoeira Grande, Icatu, Morros, Paço do Lumiar, Presidente Juscelino, Raposa, Rosário, Santa Rita, São José de Ribamar e a capital São Luís.

Municípios de menor IDH

Fernando Falcão, Marajá do Sena, Jenipapo dos Vieiras, Satubinha, Água Doce do Maranhão, Lagoa Grande do Maranhão, São João do Caru, Santana do Maranhão, Arame, Belágua, Conceição do Lago-Açu, Primeira Cruz, Aldeias Altas, Pedro do Rosário, São Raimundo do Doca Bezerra, São Roberto, São João do Soter, Centro Novo do Maranhão, Itaipava do Grajaú, Santo Amaro do Maranhão, Brejo de Areia, Serrano do Maranhão, Amapá do Maranhão, Araioses, Governador Newton Bello, Cajari, Santa Filomena do Maranhão, Milagres do Maranhão, São Francisco do Maranhão e Afonso Cunha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe

Postagem em destaque

Abono do PIS/Pasep começa a ser pago na próxima quinta-feira

Foto: Reprodução O pagamento do abono salarial do Programa de Integração Social (PIS) e do Patrimônio do Servidor Público (Pasep), exe...