terça-feira, 14 de maio de 2019

Justiça decreta prisão de mulher suspeita de matar companheiro no MA

Segundo a polícia, Marina Paixão Salazar é suspeita de ter matado Antônio Francisco Guimarães Pinto, de 36 anos, em Codó.



Justiça pede prisão de mulher suspeita de matar o companheiro em Codó

A Justiça decretou a prisão de Marina Paixão Salazar, que segundo a polícia é a principal suspeita de ter matado o seu companheiro com quem ela morava, identificado como Antônio Francisco Guimarães Pinto, de 36 anos, que está desaparecido desde o último dia 22 de fevereiro, em Codó, a 290 km de São Luís.

Segundo a polícia, o lavrador Antônio Francisco desapareceu após um desentendimento com a suspeita, de acordo com relato de testemunhas já ouvidas no inquérito policial que apura o caso com a sua companheira Marina Paixão.

A polícia diz que durante os momentos em que foi ouvida em depoimento, a suspeita entrou em contradição. Além disso, sigilos bancários e telefônicos foram quebrados por ordem da Justiça, onde foi descoberto que desde 1º de março Antônio Francisco não faz mais uso do aparelho celular e nem a sua conta bancária. Sobre o assunto, Marina Paixão disse à polícia que ele teria se deslocado para a zona rural, mas nos povoados onde ele costumava ir ele nunca mais apareceu.

De acordo com o delegado, em depoimento, a suspeita disse que Antônio Francisco teria viajado utilizando a motocicleta dele, mas durante as investigações a polícia descobriu que a motocicleta dele foi vendida por Marina Paixão, o que aumentam as suspeitas do envolvimento dela no desaparecimento da vítima.

"Outra situação grave também que ela falou é que ele viajou na moto e a moto foi vendida por ela por R$ 1.600. Conduzimos a pessoa que comprou a moto e ele declarou de forma clara que a moto foi vendida por ela por R$ 1.600. Um valor totalmente baixo ao valor de mercado. A moto está apreendida aqui e outras provas que nós estamos juntando”, relatou o delegado Rômulo Vasconcelos.

Em virtude das circunstâncias contraditórias que pesam contra a suspeita, a Justiça atendeu o pedido de prisão temporária formulada pelo delegado Rômulo Vasconcelos, responsável pelo caso, e mandou prender por 30 dias Marina Paixão.

O delegado conta que a polícia está com dificuldades de encontrar o corpo e por isso já pensa em pedir a prorrogação da prisão temporária de Marina Paixão Salazar até que todas as situações da investigação sejam esclarecidas, pois ele acredita que ela seja a responsável pelo crime.

"Acreditamos sim que ela seja a autora do crime, mas a nossa dificuldade hoje é encontrar o corpo porque o corpo está desaparecido. Fizemos uma busca com os peritos de Timon, que é aqui mais próximo. A perícia de Timon veio e os peritos vasculharam a casa toda, fizemos várias escavações no quintal e dentro da casa tentando achar elementos de prova tipo material humano, como vestígios de sangue, mas não conseguimos identificar isso pelo lapso de tempo também, mas vamos correr atrás de outras provas”, finalizou Rômulo Vasconcelos.
Lavrador Antônio Francisco Guimarães Pinto está desaparecido desde o último dia 22 de fevereiro — Foto: Reprodução/TV Mirante


G1 MA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe

Postagem em destaque

PRF apreende carregamento de droga na BR-010 no Maranhão

Apreensão aconteceu na terça-feira (20) por volta das 23h25 no km 129 da BR-010 na cidade de Estreito. 42 tabletes de maconha estavam e...