quarta-feira, 4 de abril de 2018

Ministro do Desenvolvimento Social pede mudança no reajuste do Bolsa Família

A proposta prevê a concessão de aumento acima da inflação apenas para famílias que tiverem filhos em segundo turno escolar ou em programas de capacitação técnica.




Prestes a deixar o governo para concorrer às eleições, o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, tenta emplacar uma nova política de reajuste do Bolsa Família este ano.

Entregue ao presidente Michel Temer na última segunda-feira (2), a proposta prevê a concessão de aumento acima da inflação apenas para famílias que tiverem filhos em segundo turno escolar ou em programas de capacitação técnica, que seriam oferecidos em convênio com as prefeituras e teriam prazo de alguns meses para se adaptar e ofertar as vagas. Há também uma opção de prever, como uma das condições, a participação de beneficiários em programas de geração de emprego.

Com a mudança, o governo teria de desembolsar cerca de R$ 3 bilhões para reajustar o valor do benefício, o triplo do que previa gastar concedendo apenas a inflação.

Temer ainda vai analisar as planilhas antes de bater o martelo e baixar o decreto. O ministro Osmar Terra disse em reportagem que já é dado como certo um reajuste de 2,95%, para repor a inflação de 2017. Ele considera o “aditivo” um incentivo para que as famílias tenham uma porta de saída do programa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe

Postagem em destaque

Caixa libera o auxílio emergencial para nascidos em abril

Beneficiários poderão sacar ao menos uma das cinco parcelas AUXILIO EMERGENCIAL Os saques e transferências do auxílio emergencial de R$ 600 ...