domingo, 29 de abril de 2018

Com centenas de unidades inauguradas, Escola Digna muda realidade educacional do Maranhão

Escolas com novas estruturas resultam em melhores condições para o aprendizados dos alunos. (Foto: Divulgação)
Mais de 700 escolas da rede pública foram reformadas, reconstruídas ou totalmente construídas pelo Governo do Estado, a partir das ações do Escola Digna. Implantado desde o primeiro ano da gestão Flávio Dino, o programa substitui escolas que eram de barro e taipa cobertas de palha, por prédios de tijolos e telhas. Além das obras estruturais, o Escola Digna contempla as unidades com móveis, equipamentos, climatização, fardamento, livros e outros itens que tornam possível o aprendizado a milhares de crianças e adolescentes maranhenses.

Todo o Maranhão é beneficiado com o Escola Digna, sendo priorizados os 30 municípios incluídos no plano Mais IDH – aqueles que possuem historicamente o menor Índice de Desenvolvimento Humano – e os de maior demanda, segundo levantamentos realizados pela gestão, junto às prefeituras. O diferencial do programa é a transformação promovida nas unidades escolares, tornando-as mais dignas ao ensino.

A grande maioria das escolas melhoradas pelo programa possuíam paredes de barro com risco de desabamento; muitos buracos devido às chuvas, tempo e a própria condição precária do material; teto com a cobertura de palha e cheio de falhas que incomodavam no sol ou na chuva; e sem banheiros, refeitório e outras dependências indispensáveis. Os móveis – cadeiras, mesas, quadros – em algumas nem existiam e o mínimo de conforto aos alunos era feito no improviso.

Os esforços de professores e alunos para poderem estudar ou ensinar era grande e o caminho era tortuoso e difícil em muitas destas unidades, pontua o secretário de Estado de Educação (Seduc), Felipe Camarão. “O que o Escola Digna fez e vem fazendo é dar a estas crianças e jovens o direito básico à educação. E dar uma educação com qualidade, com as condições adequadas e realmente digna”, reforça. O programa alcança escolas em áreas rurais e urbanas, comunidades quilombolas e indígenas.

Educação Digna
Governador Flávio Dino no município de Fortaleza dos Nogueiras. (Foto: Gilson Teixeira)
A primeira unidade do Escola Digna contemplou estudantes do povoado Muriçoca, em Fortaleza dos Nogueiras, região Sul do estado. A Unidade Escolar Pedro Álvares Cabral, toda reformada com as ações do programa, abriga cerca de 100 alunos em dois turnos e passou a contar com duas salas de aula; sala multimeios; diretoria; banheiros; cozinha e pátio central.

Marivalda dos Santos Araújo, 14 anos, estava na 7ª série quando a nova escola foi entregue, em julho de 2016. Foram seis anos na unidade sem estrutura e em uma única sala, mais de 40 alunos amontoados. “Minhas irmãs estudam nesta escola e estou feliz porque vai ficar melhor para elas e para outras crianças também. Eu consigo ver hoje uma escola de verdade e isso dá esperança por dias melhores”, disse a jovem.

Em setembro do ano passado, o Governo contemplou o município de Lago Pedra com a inauguração de duas Escolas Dignas. Uma importante mudança para pais e estudantes, avaliou Maria da Conceição da Silva, que tem duas filhas estudando na Unidade Integrada João Dias Napoleão, que agora é uma nova escola. “As crianças ficavam apertadas, banheiro não tinha mais. As professoras carregavam água para as crianças beberem e tinha dia que as águas estavam até sujas. Olhando essa nova escola, não tem nem como comparar com a antiga”, reforça.

Os 66 alunos da Escola Municipal Nossa Senhora da Conceição, localizada no povoado Mendonça, município de Peritoró, hoje podem dizer que estudam em uma escola de verdade. Fundada em 2000, a antiga ‘escola’ funcionava em uma casa de taipa com um único compartimento e sem banheiros. A situação foi denunciada nas redes sociais e em mídia nacional, passando a funcionar na sede da Associação de Moradores, mas, ainda sem as devidas condições ao aprendizado.
Escola Municipal Nossa Senhora da Conceição, localizada no povoado Mendonça, município de Peritoró. (Foto: Lauro Vasconcelos)
Na gestão Flávio Dino, a unidade entrou na lista do programa Escola Digna e foi construída de tijolo e telhas, com investimentos de R$ 388 mil. O novo prédio, entregue no último dia 17, conta agora com duas salas de aula, pátio, banheiros acessíveis, cozinha, entre outros espaços. “O que a gente tinha antes não era uma escola, era uma vergonha. Não dava para estudar. Hoje eu tenho orgulho da minha escola”, afirma o estudante Jairo Rodrigues da Silva, 11 anos. No município foram cinco escolas – da rede municipal e estadual – melhoradas com o programa.

Só nesta semana, o Governo do Estado inaugurou mais seis unidades do programa Escola Digna. Foram entregues quatro escolas em comunidades indígenas nos municípios de Jenipapo dos Vieiras (Aldeias Boa Vista, Raimundão e Montanha Nova); uma unidade em Barra do Corda (Aldeia 3 Irmãos); e uma em Tutóia neste sábado (28).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe

Postagem em destaque

Idosa de 80 anos é atropelada na Avenida dos Portugueses em São Luís

Idalete Gusmão foi atropelada no início da manhã desta sexta-feira (14) por um motorista de táxi; Uma equipe do Samu esteve no local do aci...