terça-feira, 8 de maio de 2018

O Maranhão antes e depois do governo Flávio Dino



Quando antes perguntavam qual o estado com maior índice de mortalidade infantil, a Federação respondia uníssona: o Maranhão.
Se queriam saber onde se localizavam os mais altos índices de mortalidade materna, a resposta era: no Maranhão.

Se alguém desavisado indagava sobre o maior fracasso na agricultura familiar, diziam todos que esse fracasso estava no Maranhão.

Se queriam saber sobre as rodovias em estado mais crítico e de abandono no país, respondiam sem medo de errar: estão no Maranhão.

Quando alguém perguntava aonde ficam as piores escolas públicas do Brasil, bastava que vissem aqueles monstrengos de palha e taipa do governo Roseana Sarney para que soubessem: as piores escolas do Brasil estão no Maranhão.

Se a questão colocada era a saúde pública e perguntavam todos sobre a situação nos diversos estados do país, sabiam logo todos que a pior situação da saúde pública era no Maranhão.

Se revoltados protestantes lamentavam e condenavam os níveis de corrupção nos diversos estados, uma imensa maioria e brasileiros lembrava que a maior corrupção no poder público estava no Maranhão.

Quando indagavam sobre investimentos, geração de emprego e renda, lá estava o Maranhão no rabo da fila, donatário dos maiores índices de pobreza absoluta e desempregados sem quaisquer perspectivas de futuro ou aparente solução.

E caso quisessem saber sobre os níveis de insegurança e violência em cada estado do Brasil, lembravam que São Luís estava entre as 50 cidades mais violentas do mundo e que esse estado tinha a polícia mais restrita e desaparelhada do país.

Em apenas 3 anos e meio, o governador Flávio Dino mudou por completo essa triste realidade. O Maranhão não está mais entre os estados com maiores índices de mortalidade infantil e mortalidade materna e a agricultura familiar viceja, vende, exporta como nunca antes aconteceu.

As rodovias estaduais são recuperadas, reconstruídas pelo Programa Mais Asfalto que também chega às ruas das cidades do interior. As escolas de taipa e palha de Roseana Sarney foram substituídas por escolas dignas de alvenaria e 9 hospitais regionais em pleno funcionamento compõem hoje a rede de saúde pública do Maranhão.

A corrupção se foi, não há notícias de corrupção no estado, a não ser as inventadas pela imprensa de José Sarney e o Maranhão se destaca em Transparência e Honestidade no trato com a coisa pública, conforme diversos institutos nacionais e a imprensa de todo o país.

O Maranhão é também o estado que mais investiu em 2017, conforme estudo do Itau Unibanco e o segundo que mais investe, segundo o Portal G1.
Por essas e por outras é que no grupo Sarney ninguém quer, ninguém se arrisca e até hoje, às vésperas da eleição, a oposição não tem candidato a governador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe

Postagem em destaque

Bandidos roubam agência do Banco do Brasil em Buriticupu após sequestro de gerente e família

O gerente do Banco do Brasil de Buriticupu e sua família passaram por uma noite de terror, segundo Tenente Coronel Nelson, comandante do 3...