terça-feira, 6 de março de 2018

STF determina quebra de sigilo bancário de Michel Temer

Michel Temer nega que tenha cometido irregularidades.

Em inquérito que investiga a elaboração da Medida Provisória dos Portos, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, determinou a quebra do sigilo bancário do presidente Michel Temer (MDB).

É a primeira vez na história do país que um presidente da República em exercício do mandato tem o sigilo bancário quebrado por uma ordem judicial. A decisão do ministro Barroso é de 27 de fevereiro, mas foi divulgada nesta segunda-feira (5). Sobre o fato, Temer não quis se pronunciar.

O Banco Central distribuiu um ofício que comunicou a decisão do STF às instituições financeiras e pede a liberação dos dados. Além de Temer, também tiveram o sigilo bancário quebrado o ex-deputado e ex-assessor do presidente, Rodrigo Rocha Loures, filmado correndo com uma mala com R$ 500 mil no ano passado; o coronel João Baptista Lima Filho, amigo pessoal de Temer; e José Yunes, outro ex-assessor do presidente. Os empresários Antonio Celso Grecco e Ricardo Mesquita, executivos da empresa Rodrimar, também tiveram o sigilo suspenso.

O inquérito apura uma suposta atuação do presidente Temer para favorecer a empresa Rodrimar, que atua no porto de Santos no litoral paulista. Por meio da MP 595, a chamada MP dos Portos, a empresa teria conseguido renovar contratos em troca de benefícios financeiros a um grupo do MDB. Michel Temer nega que tenha cometido irregularidades.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe

Postagem em destaque

Começa o período da piracema nos rios e lagos do Maranhão

Proibição atinge a pesca comercial, aquela que é praticada com armadilhas como, redes, tarrafas, espinheis, tapagens. Tem início o período d...