quinta-feira, 22 de março de 2018

Casa que pertence a advogado de Lobão Filho já custou R$ 826 mil aos cofres públicos

Segundo a assessoria do suplente de senador, o local tem sido utilizado para receber lideranças políticas.
O senador Edison Lobão (MDB), atualmente em licença médica, aluga um escritório na Rua dos Búzios, no bairro Calhau, uma das áreas mais nobres de São Luís. O imóvel custa R$ 14 mil por mês ao Senado. Esse é o maior valor pago pela Casa em locação para um parlamentar. A propriedade, com ampla área de lazer e piscina, pertence à família de um advogado que prestou serviços a Lobão Filho (MDB), primeiro suplente e filho de Lobão.

De abril de 2011 a dezembro de 2017, o Senado gastou R$ 826 mil apenas com o aluguel do imóvel. Desse total, R$ 426,8 mil só na atual legislatura. O pagamento desse tipo de despesa está previsto nas regras da cota para o exercício da atividade parlamentar, que garante aos senadores de todos os estados verba para locar um espaço onde possam receber eleitores e políticos para ouvir suas demandas.

Um dia antes de sair de licença por 120 dias, em 17 de dezembro do ano passado, Lobão entregou ao Senado uma carta dizendo que seu segundo suplente, Pastor Bel (PRTB), ficaria responsável pelo escritório de apoio no período de 18 de dezembro de 2017 a 19 de abril de 2018. Bel já pediu ressarcimento referente ao aluguel da casa dos meses de novembro e dezembro de 2017.

De acordo com a assessoria do suplente de senador, o político ”recebe frequentemente lideranças políticas no escritório”. No início do mês, vários veículos de comunicação repercutiram que Bel utilizou parte da verba indenizatória em restaurantes de Fortaleza durante o réveillon, na companhia de familiares. Após a revelação do caso, ele devolveu os R$ 1,2 mil usados indevidamente.

Somados os gastos com aluguel, água e energia elétrica, a casa alugada pelo Senado para Lobão já consumiu R$ 880 mil nos últimos sete anos. A assessoria do senador Edison Lobão, que é a mesma do Pastor Bel, disse que o imóvel foi alugado por valores de mercado e que, nos R$ 14 mil, estão incluídas as despesas com os móveis da propriedade.

Alugada inicialmente por Lobão Filho, a locação da casa foi feita em abril de 2011, quando o suplente estava à frente do gabinete do pai, então ministro de Minas e Energia. Na época, o contrato de aluguel foi fechado em R$ 10 mil mensais. Em nome do filho, o imóvel foi pago pelo Senado até janeiro de 2015. Em março daquele ano, já sob os cuidados do pai, a casa passou a custar R$ 12 mil mensais e, com os sucessivos aumentos, no último ano já custava aos cofres públicos R$ 14 mil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe

Postagem em destaque

Jovem Aprendiz | Mineração Aurizona divulga relação de candidatos classificados

A MINERAÇÃO AURIZONA divulgou no inicio da tarde desta segunda feira (28) a relação dos 92 jovens classificados após processo seletivo para ...