quinta-feira, 3 de março de 2022

Maranhenses estão entre os interessados em lutar contra a invasão da Ucrânia

Informação foi confirmada pela Embaixada da Ucrânia em Brasília à BBC News Brasil.




A Embaixada da Ucrânia em Brasília confirmou que vem sendo contatada por cidadãos do Brasil querendo lutar ao lado dos ucranianos. A informação é da BBC News Brasil.

A invasão russa à Ucrânia começou na quinta-feira (24/02), logo depois que o presidente Vladimir Putin reconheceu a independência de duas regiões separatistas na região leste da Ucrânia. Desde então, as principais cidades do país têm sido alvo de ataques.

A maioria dos que buscam informações sobre como lutar contra os russos é composta por homens aparentemente jovens e de estados distintos como o Maranhão, São Paulo e Paraná.

A procura se intensificou após os primeiros ataques e depois que o presidente ucraniano, Volodymir Zelensky anunciou, no domingo (27/02), a criação da Legião Internacional de Defesa Territorial da Ucrânia, uma unidade militar formada por estrangeiros que queiram combater os russos no país.

Pelo Twitter, o ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, convidou estrangeiros que queiram lutar contra o exército russo.

"Estrangeiros dispostos a defender a Ucrânia e a ordem mundial como parte da Legião Internacional de Defesa Territorial da Ucrânia, eu convido vocês a contatar as missões diplomáticas da Ucrânia em seus respectivos países", disse Kuleba.

É esse o caminho que alguns brasileiros adotaram nos últimos dias para buscar informações sobre como participar dos combates.

O assunto tem sido tratado pelo adido militar da representação no país. A embaixada disse não ter conhecimento sobre se brasileiros já conseguiram se alistar a essa legião internacional.

Não há expectativa de que a embaixada possa organizar o transporte de brasileiros que querem lutar na Ucrânia.

Fora dos canais oficiais, o caminho usado por brasileiros que buscam informações sobre como participar do conflito é quase sempre o mesmo.

Eles demonstram interesse em grupos no Facebook e logo são orientados por outros usuários a entrarem em grupos de WhatsApp ou Telegram, onde passam a receber informações mais detalhadas sobre o assunto.

Nesses grupos, os brasileiros são informados de que, atualmente, a única forma de chegar à Ucrânia é por via terrestre, partindo de alguns dos países que fazem fronteira com o país, no Leste Europeu.

Para quem está no Brasil, participar dessa luta implicaria em viajar à Europa, um trajeto que pode custar, apenas com bilhetes de avião, mais de R$ 7 mil.

Eles também ficam sabendo da extensa lista de documentos e certificados como comprovantes de idoneidade que eram exigidos pelo Exército ucraniano para que estrangeiros fossem aceitos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mercadorias sem nota fiscal são apreendidas na BR-135, no Maranhão

Diante dos fatos, configurou-se crime contra a ordem tributária, causando prejuízos aos cofres públicos. Mercadorias sem nota fiscal são apr...