sexta-feira, 21 de agosto de 2020

Mais de 20 pessoas são presas durante operação policial no Maranhão

As ações ocorreram em sete municípios do estado e foram cumpridos 29 mandados



Foto: Reprodução
Na madrugada desta sexta-feira (21), a Polícia Civil deflagrou Operação Pecus que tinha como principal objetivo cumprir mandados de busca e apreensão e prisão em desfavor de integrantes de facção criminosa que coordenam o tráfico de drogas na região da baixada maranhense.

De acordo a Polícia Civil, ações ocorreram nos municípios de Pinheiro, Turilândia, Maracaçumé, Central do Maranhão, Mirinzal, São Bento e na capital do estado, São Luís. Ainda segundo a polícia, foram cumpridos 29 mandados, sendo 23 nas sete cidades e outros seis no Complexo de Penitenciário de Pedrinhas.
Foto: Divulgação Polícia Civil
Foto: Divulgação Polícia Civil

Foto: Divulgação Polícia Civil
Participaram dessa operação denominada Pecus, que significa gado em latim, 190 policiais de diversas superintendências do estado. Durante a ação foram apreendidas drogas e armas de fogo.

Segundo a polícia civil, dentre os presos na operação foi identificado o irmão de um policial militar reformado, o suspeito era considerado o “armeiro” da organização. As armas que foram apreendidas estavam na casa do policial.

Investigação

De acordo com o delegado Armando Pacheco, superintendente de Investigações Criminais (SEIC), as investigações iniciaram em 2019 quando a principal liderança da organização criminosa encontrava-se presa no Complexo Penitenciário de Pedrinhas. Foi através da prisão desse suspeito que foi possível identificar outras lideranças da organização.

Ainda segundo Armando Pacheco, foi verificado que o bando é responsável por diversos crimes na região da baixada, o que inclui roubos, estupros de vulnerável, tráfico de drogas e homicídios.

Durante a investigação foi observado o modus operandi da organização criminosa que agia de forma esquematizada, repassando informações do grupo aos soldados, responsáveis por executar ações criminosas, tais como: venda drogas e homicídios. Além disso, cabia a eles executar todo planejamento da liderança da organização .

Por: O Imparcial

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe

Postagem em destaque

Bom Jardim | Ex-prefeita "Ostentação" é condenada a devolver mais de um milhão de reais aos cofres públicos

A ex-prefeita do município de Bom Jardim (2013-2015), Lidiane Leite da Silva, a prefeita ostentação, foi condenada pelo TCE-MA, em dois proc...